segunda-feira, 28 de setembro de 2009

OPERADORA DE CELULAR – TIM – ENGANA DONOS DE CELULAR TDMA

A operadora TIM enviou para alguns portadores de celulares da rede TDMA, antiga tecnologia que funciona ainda, o celular sem chip, e que vai sair de operação. A operadora esta concluindo o "shut down" (desligamento) de sua rede TDMA. Sem revelar o número de assinantes ainda existentem na antiga rede,
O ¨ recadinho é o seguinte:

Prezado Cliente


Informamos que a TIM, buscando oferecer avanços tecnológicos e recursos inovadores aos seus clientes, informa que efetuará o desligamento de sua rede TDMA a partir de 30 de setembro. Com isso, seu telefone deixará de funcionar para fazer e receber ligações. Antes de realizar uma nova recarga, procure a loja TIM de sua preferência e solicite sua migração para a nossa rede GSM. O senhor mantém seu número, seus créditos de recarga e vai poder participar das promoções da TIM. Além disto, o senhor terá disponíveis aparelhos mais modernos e planos mais vantajosos! Para realizar sua migração vá a uma loja TIM até 30 de setembro munido de CPF, identidade e comprovante de residência.

Atenciosamente

Central de Relacionamento com o Cliente.

www.tim.com.br


Acontece que os clientes nessa situação estão se dirigindo as lojas TIM e lá pagam pelo chipe, e se quiserem tem que adquirir um aparelho na loja.
Vejamos, o cliente pediu para mudar de tecnologia??NÂO. A maioria esta com o telefone porque quer continuar. E como fica o direito do consumidor?
A RESOLUÇÃO 477 de 07/07/07 da ANATEL que aprovou o REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL. No atigo 83 está CLARO: "A MUDANÇA DE PADRÕES DE TECNOLOGIA PROMOVIDA POR PRESTADORA NÃO PODE ONERAR O USUÁRIO. PARÁGRAFO UNICO - HAVENDO INCOMLPATIBILIDDADE ENTRE A ESTAÇÃO MÓVEL E OS NOVOS PADRÕES TECNOLÓGICOS A PRESTADORA DEVE PROVIDENCIAR A SUBSTITUIÇÃO DA ESTAÇÃO MÓVEL SEM ONUS AO USUÁRIO".
Os que não se contentaram com os ¨recadinhos¨ da operadora procuraram seus direitos e receberam seus números em um chip e um aparelho SANSUNG E-1085 (ou similar) sem ônus.

Se você se enquadra nesse caso e não fez a migração exija seu direito de fazê-la "sem ônus ao USUÁRIO". Se fez e pagou qualquer valor denuncie. Peque o comprovante e faça um boletim de ocorrência na policia militar para assegurar seus direitos, mesmo após o prazo legal.

CONCLUSÃO: Quem exige seu direito, a TIM ATENDE, os incautos, mal informados ou ingênuos ela cobra ao ARREPIO da lei.

CURSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL E ESTUDOS DE IMPACTOS AMBIENTAIS


A Associação dos Engenheiros agrônomos do Norte de Minas, o Agro-NM, realizara curso de licenciamento ambiental.
Detalhes no site www.agronm.org

clique na imagem para ampliar

TV ALTEROSA X PAU-DE-ARARA


video

Isso é que é ¨ pau para toda obra ¨. A equipe da TV ALTEROSA esteve por três vezes no município de Monte azul nos últimos trinta dias fazendo reportagens. Esteve na comunidade de Pedreiras fazendo reportagem sobre o descaso da Tamasa Engenharia com os daquela comunidade,e duas vezes na cidade fazendo reportagem sobre os caminhões pau de arara carregando alunos.

A primeira reportagem foi ao ar por três vezes no mesmo dia. Uma primeira vez no Jornal da Alterosa e depois repetiu no Jornal do SBT. As uma hora da manhã voltou ao ar, sendo que as três divulgações tiveram comentários dos apresentadores, todos muito negativos, claro, a respeito das crianças sendo transportadas em carrocerias de caminhões modificados.

A terceira vez foi a segunda para reportar o mesmo tema, pois vieram conferir se algo tinha sido feito para retirar as crianças do sofrimento do pau-de-arara. Indignados, os editores dos jornais informaram ao repórter Thiago e ao câmera Flavio para retornar a Monte Azul em pelo menos a cada 20 dias para verificar o encaminhamento do caso.Esta segunda reportagem das crianças no pau-de-arara foi ao ar na sexta(25). O promotor está no caso e parece que em breve iremos ter notícias. Aguardemos.

Jornal eletronico BRASIL CONFIDENCIAL







Clique na imagem para ampliar

domingo, 27 de setembro de 2009

ELEITO PRESIDENTE 2010



Na última reunião órdinaria nessa quinta-feira (24)na camara municipal de Monte Azul foi eleito por unanimidade para presidente daquela casa de edis no mandato 2010 o vereador Zé Roxo. Essa é a primeira vez que o vereador se elege para presidente da casa e na sua chapa o vereador Edimar Antunes (Dimas)é o secretário e o vereador Roberto Ferreira (Robertão) ocupa a vice presidencia. Aliás, os dois componenetes continuam na mesma posição que ocuparam esse ano sob a presidencia de Madson.

NAFAIXA...DE PROTESTO



O sindicato dos servidores municipais de Monte Azul, a poucos dias atrás, estendeu uma faixa de protesto contra o não pagamento em dia do salário dos servidores municipais. A faixa foi colocada nos postes do canteiro em frente ao prédio da prefeitura municipal em uma madrugada. Acontece que ela sequer amanheceu, simplesmente exalando.

Confeccionada outra faixa, desta feita maior, e com outra estratégia para se estender o recado á administração. A faixa foi colocada em um prédio particular,em construção, também em frente ao mercado, mas ao lado oposto ao prédio da prefeitura. Não se colocou de madrugada, mas na manhã de sábado, dia de feira e portanto com muita testemunhas. Para se garantir que todos desta feita tivesse conhecimento da posição do sindicato, seus diretores aprontaram um foguetório no ato do ato.

Desta feita todos ficaram sabendo da faixa e se os puxa-sacos do poder quiserem dar uma ¨babadinha¨ e retirar a faixa vai estar invadindo patrimônio particular, portanto podem serem acusados de roubo.

É o que diria meu avô, ¨um dia após o outro, na repetição dos atos, é que acumulamos sabedoria e consertamos nossos erros¨.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

SERVIDORES E EDUCADORES MUNICIPAIS EM GREVE POR FALTA DE PAGAMENTO EM MONTE AZUL LEVAM A CRISE PARA DISCUSSÃO NA CAMARA DE VEREADORES.





Reunião com mais de 4 horas de duração aconteceu na câmara de Monte azul onde a pauta foi a situação do funcionalismo público municipal com atraso no pagamento e consequente greve dos professores contratados.

Há quase um mês as escolas municipais, todas funcionando na zona rural, estão paradas por falta de professores que resolveram em assembléia parar por se encontrarem sem receberem seus vencimentos há 3 meses.E, segundo a prefeitura, do Democrata Joaquim Gonçalves Sobrinho, não há dinheiro em caixa nem data definida para quitar a folha.Todos são funcionários públicos contratados e os professores lecionam de 5ª a 8ª série.

A situação atual chegou da educação em Monte Azul chegou oficialmente á câmara municipal nessa quinta-feira (24), que recebeu a diretoria do sindicato dos servidores públicos e parte dos serventuários grevistas, abrindo a palavra franca da seção ordinária aos mesmos.

O diretor Edson Hermógenes e o presidente Damastor Alves relataram cronologicamente os acontecimentos que culminaram com a greve e reclamaram dos acordos acertados nas reuniões com o sindicato e não cumpridos pela atual administração. Foi cobrado um posicionamento da câmara, considerada omissa e covarde no discurso do diretor, que também acusou a atual administração de sustentar funcionários fantasmas e de nepotismo.Reclamou da quantidade de secretários adjuntos e da pressão exercida ao ameaçar de demissão os contratados em greve e até mesmo os efetivos caso não voltem ao trabalho, mesmo sem receber, ou se falarem mal da administração.

Emocionado, Damastor pausou suas ponderações na tribuna da câmara por lhe faltar a voz quando relatava as condições de penúria a que chegaram os que trabalharam e adentraram o quarto mês sem receberem seus salários dos últimos 3 meses. Pais de família sem o leite das crianças e dispensa vazia, além de contas de água e energia elétrica se acumulando. Prosseguindo, Damastor declara que, como presidente do sindicato foi covarde e não poderia deixar chagar onde a situação chegou, esperando 60 dias pela concretização das promessas da administração. São 3 semanas com as escolas fechadas e pais de alunos sem saberem o que fazer.

Segundo o vereador Francisco de Assis, os servidores públicos são hoje mais da metade da economia circulante no município, sendo que os quase 4 meses de atraso salarial dos contratados e professores ajuda a aumentar o reflexo da crise mundial na cidade e prosseguiu afirmando ¨ É triste falar de cassação do prefeito que a gente apoiou, mas, antes de colocar um carro para rodar, antes de colocar uma patrola para trabalhar, tem-se que separar o dinheiro dos que estão trabalhando ¨. Afirma De Assis que essa foi uma crise anunciada, pois em março alertou seus amigos da administração dos gastos excessivos que estavam assumindo e tomou como exemplo a conta do posto de combustível que tinha passado de 42 mil para 65 mil reais naquela época, e o número de contratados aumentara significativamente. Afirmou o vereador que é duro ser tachado de covarde como os componentes da câmara foram e não ter argumentos para justificar. Todos querem ser prefeitos, mas tem-se que ter responsabilidade, disse De Assis.

O secretário de governo, advogado Murilo Oliveira, tentou amenizar a situação, mesmo assumindo que errou ao fazer as contratações. Afirmou que o déficit nas contas públicas no que se refere divida com os servidores estava em 256 mil reais e que vinha mantendo contatos com instituições bancárias para contrair empréstimo e colocar a folha em dia. Acrescenta que os bancos não disponibilizam uma linha de credito para as prefeituras, mas que estava negociando com o banco rural de Montes Claros e que os gerentes exigiram que a administração dê como garantia uma patrola e dois caminhões, e ainda querem a preferência dos servidores municipais que forem realizar empréstimo consignado. Para garantir os empréstimos descontados na folha dos servidores a instituição financeira abriria um posto avançado com cerca de 4 funcionários na cidade.

Murilo viajou hoje para Montes Claros e segundo o mesmo estará acertando os detalhes da operação e que, se tudo correr bem, na semana que vem encaminha o projeto para ser votado na câmara.

A oposição, embora manifeste a favor do funcionalismo, vê com restrições um empréstimo para quitar a folha de pagamento. O vereador Vila, que afirma ter aprendido a ser oposição pelos 3 mandatos consecutivos sem as benesses do executivo, afirma que o problema é claramente político. Isso é má administração, e se não tem dinheiro hoje para pagar os funcionários, como farão para pagar o empréstimo contraído quando do vencimento?. E depois, no próximo mês, os servidores ficarão outra vez sem receber?. Finaliza acrescentando que a coisa pública está tão ruim na prefeitura que não é a oposição, são os partidários do prefeito que falam mal da administração de Joaquim de Deja.

A exceção de posicionamento durante a reunião, onde nos bastidores da audiência o assunto reinante era a possibilidade de cassação do chefe do executivo, foi dos vereadores Robertão e Dimas. Na defesa de Joaquim de Deja o vereador Edimar Antunes (Dimas)subiu a tribuna para assegurar que se o prefeito não tivesse assumido os contratos herdados da administração passada. Se não tivesse, com seu enorme coração, atendido a solicitação da câmara e do sindicato quando solicitaram o aumento para os pedreiros e parte dos professores, não estaria provavelmente na situação em que se encontra. Defendeu ainda Haroldo, o filho do prefeito que segundo apuramos junto a populares é o que é ¨de fato¨ o mandatário da coisa publica no município, dizendo ser normal na região empregar os filhos, citando exemplo da prefeita de Mato Verde, município visinho.

Humildes e pacatos, não houve manifestação publica entre os presentes que assistiam a reunião, mas somente um murmurinho de revolta quando o vereador Roberto Ferreira (Robertão), após utilizar sua fala para defender o atual prefeito, concluiu afirmando que a atual administração fecharia seu mandato com chave de ouro.

SOLUÇÃO EM 72 HORAS.

Diante a falta de entendimentos quanto ás tomadas de posições futuras para se solucionar o problema das escolas fechadas e dos servidores com pagamentos atrasados, após o encerramento da seção ordinária da câmara municipal de Monte Azul, sindicalistas e edis formaram uma mesa de trabalho para decidir caminhos prováveis a serem percorridos.

Os professores que passaram a compor a mesa, afirmaram que os pais de alunos aflitos com a situação dos filhos estão matriculando-os em escolas dos municípios visinhos, ou mesmo nas escolas estaduais. Isso, segundo uma professora, prejudicará os andamentos da educação municipal no ano sequente, quando se faz o senso escolar para pagamento por aluno em 2010.

Pais e professores estão preocupados com o descumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente e que os atos do prefeito incorrem em improbidade administrativa e, diante aos fatos, resolveu-se esperar somente mais 72 horas úteis para resolução do problema.

Hoje, ainda nessa manhã, conforme acertado na reunião, o sindicato dos servidores públicos municipais de Monte Azul, através de seu presidente Damastor Alves, protocolou na prefeitura do município um oficio asseverando a administração que após o prazo estipulado de 3 dias úteis, diante o não pagamento dos servidores, acionara o ministério publico com impetração de ação civil. Espera-se como combinado, que a câmara municipal encaminhe oficio com mesmo teor a administração.

SITUAÇÃO CRITICA DA EDUCAÇÃO E DOS SERVIDORES
A administração pública de Monte azul despediu cerca de 200 funcionários contratados, mas segundo os que foram ¨ mandados para a rua ¨ a dispensa não veio acompanhada do pagamento dos dias trabalhados. Os contratados que continuaram a fazer parte do funcionalismo público municipal estão dentro do quarto mês de atividade sem receberem salário.

O sindicato dos servidores públicos municipais fez três reuniões para tentar resolver o problema, agravado com a parada dos professores que se recusam a voltar para salas de aulas com três salários atrasados. Cerca de 78 professores e mais os serviçais fazem greve por pagamento, apesar da pressão da administração e dos diretores de escolas que ameaçam de dispensa os grevistas. Somente os poucos professores efetivos continuam a ministrarem aulas, o que deixa os alunos em pavoroso nos corredores e imediações das escolas municipais rurais por não encontrarem professor para todos os horários. Segundo os professores grevistas, a maioria dos professores efetivos estão amontoados na secretaria municipal de educação em funções diversas e estão recebendo seus salários sem saírem da cidade e as aulas nas comunidades rurais sobram para os contratados que tem que, por conta própria se deslocarem para a zona rural por seus meios e riscos.

Os professores contratados reclamam que desde o inicio a administração vem prometendo o concurso público mas, na opinião dos mesmo, é somente para ¨ engabelar o promotor público ¨ pois os cargos são distribuídos levando em conta os que a família tem mais votos, e sendo somente contratados ficam com medo de perderem o emprego. Isso fez com que somente depois de tanto tempo eles viessem manifestar,procurando divulgar a calamidade que se transformou suas vidas, mas mesmo assim tentando preservar suas identidades com medo das perseguições .

Ouvimos o caso da serviçal Maria Aparecida, que quando recebia, lhe era entregue cheque de 450 reais e tem que dividir com duas colegas de trabalho sem contrato, e que agora tem vergonha do dono da farmácia pois deve a ele os remédios de seu marido doente e do comerciante que a vende mantimentos e anota para pagamento quando recebe o pagamento, estando ela e outras contratadas com três meses sem pagar armazém e tem notado as prateleiras do pequeno comercio com volume diminuído de mercadorias. Na tentativa de pagar suas contas a serviçal aproveitou para comercializar em festa na cidade vizinha, ficando lá por quatro dias se sacrificando para conseguir um dinheirinho e quando retornou á sua residência sua televisão tinha sido roubada. Agora sua geladeira com bastante tempo de uso parou de funcionar. Aparecida afirma que era pouquinho, mas dava graças a Deus pelo dinheirinho que faz tanta falta.
Ilton Dias, professor contratado, formado em letras e que percorre com sua moto 192 quilômetros em um dia para ir lecionar em variadas escolas rurais afirma ¨ Tenho vergonha de dizer que sou professor ¨. Como seus colegas, Ilton esta sem graça com o dono do posto de combustíveis que cobra a nota da gasolina atrasada. Confirmamos que todos encontram-se com os documentos dos veículos irregulares pelo não pagamento desse ano.

A professora Wesla Migliaci, acompanha pelo pai e um dos filhos na reunião da câmara municipal onde discutia a situação dos professores, afirma que esta nessa luta representando os outros professores que tem medo das retaliações e que tem feito bombons para conseguir algum dinheiro. Disse estar sendo peso para sua família, já que é a única a trabalhar para sustentar os três filhos e o leite de seu filho de dois anos tem sido pago por sua avó e as contas de energia e água se acumulam em sua casa. Afirma que seus colegas tem sofrido com o stress de trabalhar e não receber e que ela somente volta para a sala de aula porque ama o que faz, e faz pelas crianças que depois ela vê tomando direcionamento em suas vidas.

Também complicado é o caso da professora Geisabele Teixeira que desde o inicio do ano somente recebeu dois pagamentos é disse receber ameaça dos país dos alunos que alegam que seus filhos não tem nada haver com o não pagamento salarial pela prefeitura.

Alguns servidores da educação presentes a reunião reclamam da ineficiência da secretária de educação Maria Celma Cardoso Dias, esposa do filho do prefeito que, com acumulo de cargo dedica-se mais a APAE deixando a educação municipal ás moscas. Afirmam que os professores e serviçais contratados são menosprezados e mesmo perseguidos, e alegam que as vagas para Monte azul no curso de pós graduação na Unimontes estão sobrando e a secretária não indica os professores contratados. Afirmam ainda que uma professora contratada está fazendo o curso porque se inscreveu imediatamente e quando a secretaria soube, tentou anular a inscrição não conseguindo seu intento.

Perguntados sobre o nível do ensino foram enfáticos, ¨É um dos piores do Brasil¨. Reclamam das condições oferecidas e afirmam ¨ Cotizamos na compra de material de construção para reformas e para erguer paredes, fazer cozinha e melhorar os prédios que chamam de escola ¨. A escola municipal de Canabrava funciona dentro de uma antiga igreja católica que teve seu salão dividido por uma parede, a diretoria funciona separadamente em um cômodo alugado. No distrito de Riachinho a Escola Municipal Castelo Branco reparte uma sala alugada com um projeto federal. A merenda para os alunos, quando muito, dura uma semana.

O sindicato ainda questiona querendo saber quem são os membros no município do conselho responsável pelo FUNDEB – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica. Eles querem saber para onde está indo o dinheiro repassado pela União ao município para ser gasto exclusivamente com a educação.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

VEREADOR É PRESO POR NÃO PAGAR PENSÃO ALIMENTÍCIA.

O vereador Nerval Afonso da Silva, o Nerval do Bonito, eleito pelo PSDB nas últimas eleições em Mato Verde foi conduzido pela Policia Militar, nessa segunda-feira (21), a cadeia pública de Monte azul por ordem da Justiça de Janaúba por não pagar pensão alimentícia de um filho seu residente naquela cidade.
Nerval , do distrito de São João do Bonito, foi motorista da ambulância na época de Agripino e presidente da associação comunitária do Bairro São José quando essa se associou a Visão Mundial, sendo nessa época seu primeiro mandato de vereador. Derval cumpre seu terceiro mandato, sendo que na legislação passada ele não foi eleito e hoje, eleito com 350 votos, é o secretário da câmara municipal de Mato Verde.

O QUE DIZ A LEI

De acordo com a lei, o não pagamento de pensão alimentícia é considerada infração civil e não criminal, inafiançável e prevê pena de 30 a 90 dias de reclusão. O dever de fornecer alimentos não é estabelecido apenas de pais para filhos nem traz vinculação com a idade do favorecido. A obrigação pode existir entre homem e mulher casados, divorciados e até em casos de parentesco até segundo grau, como entre irmãos, avós e netos.

De acordo com o artigo 1694 do Código Civil, os alimentos devem ser fixados na proporção da necessidade do reclamante e dos recursos da pessoa abrigada. Quando não há prova de que a pessoa trabalha o juiz arbitra valor mínimo e espera que a parte venha se defender. A partir do momento que o pai recebe a citação da ação de alimentos com determinação dos valores provisórios, já fica obrigado a pagar.

A partir do terceiro mês de atraso, a parte credora pode ingressar com execução de alimentos. A Justiça notifica o devedor e ele tem três dias para efetuar o pagamento da dívida, provar que já havia feito o pagamento ou provar que não tem como pagar. Após os três dias, o juiz pode decretar pagamento de um a dois meses. A prisão só se dá pelo atraso dos últimos três meses. Se a pessoa deve 20 meses, a outra parte entra com uma ação pelos últimos três meses e os 17 meses restantes são de execução simples.

Após a prisão o devedor pode pedir habeas corpus ou entrar com agravo de instrumento no Tribunal de Justiça, dependendo do caso. Se a prisão for cumprida, o devedor só pode ser preso novamente se atrasar mais seis meses. A cada três meses comporta uma nova execução judicial, e a lei admite que se as três últimas prestações forem pagas o devedor pode ser libertado. Derval, se não conseguir acertar sua divida, será preso por 60 dias.

EIKE BATISTA ESTÁ DISPOSTO A ADQUIRIR 25% DA PREVI PARA CONTROLAR A VALE.



Eike Batista pretende dobrar valor da Vale
21/09/2009 - Valor Econômico

O plano de expandir o grupo EBX nos próximos quatro anos não é suficiente para satisfazer a ambição de Eike Batista. O bilionário está disposto a lutar para ser sócio no bloco de controle da Vale, a segunda maior mineradora do mundo. Nos anos 60 e 70, estatal, a Vale foi comandada por Eliezer Batista, pai de Eike. Três décadas depois, o filho sonha assumir a direção da gigante da mineração, com valor de mercado perto de R$ 200 bilhões.

Homem de mercado, investidor agressivo, Batista antevê potencial na companhia para dobrar seu valor de mercado em cinco anos, como confidenciou a amigos próximos. Ele tem muitas ideias para a Vale. Uma delas é uma oferta de compra pela ferrovia ALL. A aquisição dotaria a empresa de rede ferroviária nacional integrada no país. Outro sonho é de fortalecer o braço de petróleo da Vale com a OGX, empresa de petróleo e gás da EBX. Nesse clima de empolgação Eike Batista parte para segunda investida para chegar ao topo da empresa.

Depois de ter levado uma recusa do Bradesco à sua proposta de compra da Bradespar, o empresário iniciou conversas com a Previ, fundo de pensão do Banco do Brasil e maior acionista da holding Valepar, que controla a mineradora. Ele está disposto a adquirir 25% da fatia do fundo de pensão, apurou o Valor. Esse percentual dá direito de veto ao sócio no bloco de controle. Apenas a Previ tem direito de veto na Valepar porque os demais têm fatia inferior a 25% (a Bradespar com 21,1% do capital votante, a trading japonesa Mitsui, 18,5%, a BNDESPar com 12,5% e o Eletron - Opportunity -, com 0,029%).

Nesse clube fechado, a Previ participa por meio do veículo Litel com mais três fundos: Funcef, Petros e Funcesp. A Litel é controlada pela Previ com 81,15%, enquanto os outros três fundos detém juntos 18,85%. A Litel tem 48,79% no capital votante da Valepar e mais 4,68% num outro pequeno veículo Litel A, o que soma uma fatia de 53,47% da Litel na Valepar. Mas a Litel só pode votar na Valepar com 48,79%. O acordo diz que os acionistas não podem deter mais de 49% da Valepar.
Por isso, as ações que excedem esse percentual em poder da Previ se encontram na Litel A, um veículo criado para abrigá-las como preferenciais. Mas se elas forem vendidas, voltam a ser ordinárias, conforme reza acordo feito com a Previ.
Os três fundos de pensão que detêm participações na Litel (a maior participação é da Funcef, com 11,65%) não têm autonomia para vender sua fatia na Valepar sem o "sinal verde" da Previ. Mesmo que eles estejam dispostos a fazê-lo, informaram interlocutores ligados aos controladores da Vale, qualquer mudança nessa regra só com um novo acordo de acionista da Valepar, o que poderá ocorrer em 2017.
Isoladamente, a Previ participa indiretamente com 23,51% do capital votante e 14,71% do capital total da Vale.

É nesse emaranhado acionário que Batista pretende garimpar sua participação no controle da Vale. Ele já esteve na sede da fundação, numa primeira rodada de entendimentos. Depois de oferecer R$ 9 bilhões ao Bradesco pelas ações da Bradespar e ter sua proposta recusada, Batista pretende oferecer à Previ um prêmio de controle de 15% para fechar o negócio. A Previ é uma fundação "desenquadrada" nos seus investimentos em renda variável. Segundo as regras da Secretaria de Previdência Complementar (SPC) todo fundo de pensão deve investir até um limite máximo de 50% de seus negócios em renda variável e a Previ tem 60%. Mas a SPC deu um prazo até 2014. A questão do desenquadramento da Previ é chave nas conversas com a equipe de Batista.
Para entrar na Vale, Eike Batista, mesmo contando com apoios dentro do governo, que os interlocutores preferem não nomear, vai ter que enfrentar desafios, como a alergia do governo aos estrangeiros. Ele está vendendo parte da MMX, sua mineradora, para os chineses. É preciso saber se esse tipo de parceria seria bem vinda na Vale. Ciente dos obstáculos, Eike Batista contratou quatro bancos para assessorá-lo na negociação com a Previ: Santander, Itaú, Credit Suisse e o BTG , de André Esteves.
Hoje, em Nova York, Batista será anfitrião de um jantar em homenagem ao presidente Luiz Inácio da Silva, juntamente com o presidente mundial da ExxonMobil. Certamente, nesse encontro, terá um tempo para falar à Lula de suas pretensões na Vale.

Nota do Blog - A Vale do Rio Doce, ou simplismente Vale, controla hoje a FCA- Ferrovia Centro Atlantica, concessionária dos serviços de transporte ferroviário de Cargas no trecho centro-leste.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

CÂMARA APROVA PEC QUE AUMENTA NÚMERO DE VEREADORES DO PAÍS. A proposta aprovada prevê, em contrapartida, uma redução nos gastos das câmaras municipais

O Plenário aprovou nesta quarta-feira(16), em primeiro turno, as PECs 336/09 e 379/09, ambas do Senado, que aumentam o número de vereadores do País dos atuais cerca de 52 mil para cerca de 59 mil. Além disso, ficam reduzidos os percentuais máximos da receita municipal que podem ser gastos com as câmaras. O texto mantém as 24 faixas e números de vereadores aprovadas pela Câmara no ano passado, mas muda a fórmula de cálculo das despesas. A matéria ainda precisa ser votada em segundo turno.

O substitutivo votado, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), não faz mudanças de mérito nas PECs, pois apenas reúne os dois textos em um só. A matéria teve 370 votos a favor e 32 contra. Segundo o relator, a aprovação significa o "resgate da democracia e da dignidade de todos os representantes das câmaras municipais do Brasil".

De acordo com ele, "não há razão válida para que os vereadores que vierem a tomar posse com base na emenda constitucional tenham direito a retroatividade de remuneração".

Um dos pontos polêmicos do texto é a validade retroativa para o pleito de 2008 da mudança do número de vereadores. Isso beneficiará cerca de 7 mil suplentes. Entretanto, a redução dos repasses passará a valer a partir do ano seguinte à promulgação da PEC.

Um dos poucos a se manifestar contra as PECs, o deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ) considerou inconstitucional a aplicação da regra às eleições de 2008. "É uma proposta que vai alterar o resultado de uma eleição homologada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)", afirmou. Para ele, o TSE não aceitará essa retroatividade.

Divergência e acordo
No ano passado, o Senado aprovou apenas o aumento de vereadores, transformado na PEC 336/09. Quando essa proposta foi enviada à Câmara, o então presidente Arlindo Chinaglia (PT-SP) se recusou a promulgá-la. Ele argumentou que os senadores romperam o equilíbrio do texto aprovado antes pelos deputados (o aumento de vagas estava condicionado à diminuição de despesas).

A recusa levou o então presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho, a entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) exigindo a promulgação parcial do texto já aprovado pelas duas Casas e que tratava apenas do aumento de vereadores.

Em março deste ano, houve um acordo que resolveu esse impasse: as novas mesas diretoras das duas Casas decidiram analisar a parte que trata da limitação de gastos em outra proposta e o Senado desistiu do mandado de segurança no STF. Por isso, foram aprovadas duas PECs nesta quarta-feira.

As regras que reduziam as despesas foram incluídas na PEC 379/09, mas com um método de cálculo diferente do aprovado pelos deputados. Em vez de percentuais relacionados a faixas de receita anual dos municípios, os senadores mantiveram a aplicação de percentuais com base em faixas de população, como determina a Constituição atualmente.

Mais faixas
Hoje, a Constituição prevê três faixas de números de vereadores de acordo com a população: de 9 a 21 vereadores nos municípios com até um milhão de habitantes; de 33 a 41 naqueles com mais de um milhão e menos de cinco milhões de habitantes; e de 42 a 55 vereadores em localidades com mais de cinco milhões.

O texto aprovado distribui os vereadores em 24 faixas, também de acordo com a população. Os municípios com até 15 mil pessoas terão nove vereadores. O número máximo de 55 vereadores será permitido para municípios com mais de oito milhões de habitantes (atualmente, apenas a cidade de São Paulo se enquadra nesse limite).

Fonte: Agência Câmara, reportagem de Eduardo Piovesan e edição de João Pitella Junior

Jornal BRASILIA CONFIDENCIAL






CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

PMA PRENDE NO ASFALTO PEIXES CAPTURADOS NO RIO SÃO FRANCISCO







Quando passava das três horas da tarde de terça-feira (15) na rodovia na MGT 122, quilometro 33, no município de Monte Azul e a Policia Militar Rodoviária de Espinosa atendia acidente com caminhão que saiu da pista, a guarnição composta pelos soldados Pereira e Mendes, o cabo Assis e comandada pelo sargento Blair depararam com uma comitiva de pescadores que retornavam para Minas após 10 dias pescando no Rio São Francisco no município de xique xique, local onde o rio sobre as alterações em seu nível pela proximidade da barragem de sobradinho, o maior lago artificial do mundo.

Abordados pela equipe, provavelmente a única da Policia Militar do Estado que acumulam as funções de Rodoviária e Ambiental, comprovou-se que os pescadores não portavam carteira para pesca amadora que é emitida pelo IEF (definida pelo Decreto nº 43.713, de 14 de janeiro de 2004), estando o pescador sem a licença sujeito à apreensão de seu material em caso de fiscalização. Em um reboque com a traia e um barco, tracionado pela Silverado conduzida por Gilberto Sabatim a Policia Ambiental encontrou 170 quilos de peixe, e no reboque do Fiat Uno conduzido por Joaquim da Costa constatou haver 55 quilos de pescado sem prova de origem. Entre a traia não havia equipamento proibido e no pescado não foi constatado marcas de captura por rede ou tarrafa.

Os veículos e os pescados foram apreendidos e encaminhados para a Delegacia de Polícia de Monte Azul, juntamente com seus condutores que foram autuados em flagrante por crime contra o meio ambiente. Os Policiais também efetuaram um auto de infração administrativo e arbitraram multa no valor de R$ 1.288,87 para Gilberto e R$ 644,87 para Joaquim.

Os peixes foram examinados pelo veterinário Carlos César e constatado estarem aptos para serem consumidos foram doados para a APAE e para o asilo São Vicente de Paula de Monte azul onde os responsáveis pelas entidades assistencialistas assinaram termo de responsabilidade pelo pescado.

Os pescadores e seus veículos foram liberados pelo delegado Herivelton Ruas após ouvidos e efetuarem o pagamento da fiança de R$ 310,00 cada um e deverão se apresentar no fórum local quando convocados.

domingo, 13 de setembro de 2009

VOLTA DOS TRENS URBANOS É VIÁVEL


Mecanismos legais para recolocar os trens de passageiros nos trilhos existem. As concessionárias de transporte de carga que hoje operam as linhas férreas no país têm obrigação de ceder dois horários de ida e dois de volta, por dia, para composições de passageiros. Um decreto federal também coloca o deslocamento de trens de pessoas como prioritário, em relação aos de carga.

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate, a reintrodução dos trens urbanos no mercado brasileiro é viável e deve acontecer nos próximos anos. “Os trens regionais se perderam, mas vão ser resgatados. Não só com os trens de alta velocidade, com a linha Campinas - São Paulo – Rio de Janeiro, mas com a possibilidade de retorno das linhas regionais em vários estados do país”, comenta. Segundo Abate, a indústria está preparada para investimentos no setor. “A indústria tem capacidade instalada, tecnologia e mão de obra especializada . Os trens regionais dão segurança, conforto e rapidez, e ainda poluem menos o meio ambiente”, diz.

No entanto, de acordo com o professor da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG, Ricardo Machado Ruiz, investimentos em ferrovias são improváveis. “Acho difícil investir em ferrovias porque o transporte aéreo em pequenos e médios aviões está com preço cada vez mais atrativo e se torna um substituto mais eficiente”, comenta. Para Ruiz, os ônibus e os aviões têm mais flexibilidade e para que o transporte de passageiros em ferrovias se tornassem viáveis, deveriam ter sido feitos investimentos na passado, a partir da década de 30.

Há gente interessada em viabilizar esses caminhos, mas muitas vezes falta dinheiro e sobra burocracia. Há 13 anos, Paulo Henrique do Nascimento, presidente da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Movimento Nacional Amigos do Trem, de Juiz de Fora, batalha para criar o Expresso Pai da Aviação. A ideia é que o trem turístico ligue Matias Barbosa, na Zona da Mata, a Barbacena, passando por Juiz de Fora e Santos Dumont. No percurso de 125 quilômetros, as comunidades de municípios cortados pelo trem poderiam vender artesanato e fazer apresentações culturais em estações. “É uma maneira de preservar o patrimônio da antiga RFFSA, que é público, incentivar o turismo na região e gerar emprego e renda para essas pessoas”, diz Paulo.


Novas perspectivas para 2010


Em maio, a Oscip conseguiu a cessão, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), de quatro locomotivas a álcool, seis vagões de passageiros e três automotrizes (veículo autopropulsores), que estavam abandonadas, para tocar a iniciativa. Ele pretende reformar duas automotrizes e um vagão restaurante e coloca-los em funcionamento no primeiro semestre de 2010, mas precisa de parceiros que invistam R$ 1,3 milhão na proposta, valor que pode ser deduzido do Imposto de Renda. O montante inclui desde a recuperação do maquinário à capacitação de funcionários e gastos com publicidade.

Para Pablo de Oliveira Lima, professor de História da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que pesquisou a política do transporte ferroviário brasileiro, o Governo ainda pode tentar recuperar o tempo perdido.

“A União é dona da malha ferroviária nacional, que hoje é a 11ª do mundo. Basta determinar, em lei, que as concessionárias também operem composições com passageiros”, defende. “Diminuiria o lucro das empresas, mas retomaria a função social do trem”.

Bruna Saniele
e Ana Paula Lima
Repórteres
Jornal Hoje em Dia - Domingo-13 de setembro.

sábado, 12 de setembro de 2009

ARRECADAÇÃO RECEBIDA POR MONTE AZUL DE F.P.M. NOS ÚLTIMOS 8 MESES


Arrecadação repassada pelo Tesouro Nacional á administração de Monte azul nos últimos 8 meses.Esse é o principal repasse mas não é o único.

clique na imagem para melhorar visualização.

CASAL, DONO DE OTICAS, É PRESO PRESCREVENDO OCULOS A PACIENTES.




A polícia Civil de Monte azul, após diligencias, prendeu o casal Sidinei Ferreira Pessoa (30) e Maria Yara Souza Ferreira (19), proprietários das Oticas Olho Verde, por exercício ilegal de profissão.

A matriz que funciona no centro de Monte Azul,estava cheia de clientes na espera pela consulta, sendo que cerca de oitenta pessoas tinham marcado anteriormente e seriam atendidas pelo casal em um sala no fundo da loja. A policia surpreendeu Sidinei e Maria Yara, que são estudantes de optometria, atendendo conforme senha de chegada e ambos foram conduzidos á delegacia vez que ficou constatado que, naquele momento, estavam prestando consulta a um cidadão e uma menor acompanhada pela mãe. Os equipamentos utilizados na realização dos exames, além de lentes, óculos, ficha dos pacientes e bloco de notas foram apreendidos pela polícia e encaminhados á delegacia. A maioria dos pacientes são moradores de cidades vizinhas e de comunidades rurais que aportam a cidade no sábado, dia de feira em Monte Azul e alguns prestaram depoimento e apresentaram nota de compra de óculos. Mesmo se profissionais fossem, a consulta dita gratuita feita na ótica e a compra de óculos na mesma loja pode caracterizar venda casada, tida como irregular pelo código do consumidor.

Além disso,o casal de estudantes, em seu depoimento, ressaltaram fazer curso técnico profissionalizante para optometrista, profissão reconhecida pelo MEC e regularizada pela Portaria nº 2.948/2003, sendo reconhecida, inclusive, em mais de 60 países, e que apenas realizavam exames primários a fim de quantificar, corrigir, e detectar patologias. Declararam que para tal necessitam utilizar equipamentos oftálmico, não utilizando medicamentos ou técnicas invasivas ao corpo humano, descaracterizando exercício ilegal de medicina segundo a polícia.

A Optometria é uma ciência especializada no estudo da visão, especificamente nos cuidados primários e secundários da saúde visual, sendo o Optômetra um profissional independente da área da saúde, que está habilitado a examinar e avaliar o sentido da visão , sendo um especialista em identificar e compensar alterações visuais de origem não patológicas, como: miopia, hipermetropia, presbiopia, astigmatismo, melhorando o desempenho visual e conseqüentemente o desenvolvimento social e a qualidade de vida da população .

Segundo o Delegado Bruno Salmen, o exercício profissional é garantido a todos, ressalvadas as capacitações técnicas específicas previstas na Constituição e a função da policia é inibir para evitar que a sociedade seja enganada por falsos profissionais, como é o caso.

O casal que possui três outras óticas nas cidades de Urandi na Bahia, Espinosa e Mato Verde no Norte de Minas admitiu em depoimento que não poderiam estar realizando exames de vista, bem como indicando óculos de grau, e por não possuír antecedentes criminais foi liberado após prestar depoimento.

sábado, 5 de setembro de 2009

APROVEITAMENTO DO PATRIMÔNIO DA RFFSA NA ÁREA DE TURISMO É DISCUTIDO


Responsável pelos bens da Rede Ferroviária Federal – RFFSA desde sua extinção, em 2007, o DNIT iniciou nesta sexta-feira (04/09) discussão com outros órgãos e entidades da administração federal visando o aproveitamento deste patrimônio na indústria do turismo. “Podemos transformar vagões, trilhos e imóveis que estão se deteriorando ou sendo depredados em lugares habitáveis, que a população possa desfrutar de lazer e que possam ser integrados a roteiros turísticos”, avaliou o diretor geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot.
A reunião, realizada na sede do DNIT, contou com a presença do diretor de infraestrutura ferroviária da autarquia, Rômulo do Carmo F. Neto, e de representantes do Ministério do Turismo, da Agência Nacional de Transporte Terrestre – ANTT, do BNDES, do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e da Secretaria do Patrimônio da União (SPU).
O diretor geral do DNIT relatou que 28 mil quilômetros de trilhos pertencentes à antiga RFFSA foram concedidos à iniciativa privada, mas a autarquia ainda administra cerca de 30 mil quilômetros, além de grande quantidade de imóveis. “Percebemos uma demanda crescente por pequenos trechos de ferrovias, estações, vagões e locomotivas para fins turísticos”, completou Pagot. Em sua opinião, há possibilidade de aproveitamento não somente em museus e áreas de lazer como também para transporte de passageiros.
Para avançar na definição dos próximos passos e de possíveis ações que permitam a utilização deste patrimônio da RFFSA, foi agendada nova reunião do grupo no dia 23 de setembro, na sede do Ministério do Turismo.
04/09/2009
ASSESSORIA DE IMPRENSA/DNIT

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

TRAFICANTES PRESOS COM 1,5 QUILOS DE MACONHA



Os agentes da polícia civil de Monte azul, Vanessa e Dalson, no inicio da manhã de quinta-feira(3), efetuaram prisão de traficante de drogas no momento em que esse estava dentro de ônibus clandestino pronto para efetuar fuga para São Paulo.
As informações partiram da polícia civil de Espinosa que, após denuncias anônimas de que 3 indivíduos estavam traficando na comunidade de Charco no município de Espinosa, efetuaram batidas e ficaram sabendo que um dos traficantes tinha tomado um ônibus clandestino em Quebradas e que o mesmo passaria por Monte azul com destino a São Paulo. Com as características físicas do suspeito os agentes adentraram o veiculo que estava parado no ponto da praça do mercado municipal de Monte azul e prenderam o desocupado Jonathan Nascimento do Carmo Marçal, conhecido como Pequeno, 22 anos, que empreendia fuga ao perceber que a policia estava chegando perto de seu esconderijo, uma propriedade rural na comunidade de Charco.
Ao delegado Herivelton Ruas, que responde pela delegacia de Espinosa, Pequeno contou quem eram os 2 comparsas e onde estava a droga. Em uma operação com a policia militar no sitio em Charco a policia prendeu o também desocupado João Paulo Fagundes Neto, 29 anos, e apreendeu 1 quilo e meio de maconha e quase 100 gramas de cocaína. Percebendo a ação da policia o terceiro integrante da quadrilha, Claudemir Geremias do Nascimento, o ¨Mi¨, se embrenhou no mato empreendendo fuga a pé.
Contra Jonathan e Claudemir a policia encontrou um mandato onde os dois são acusados de praticar crime de extorsão mediante seqüestro a uma filha de deputado em Hortolândia, interior de São Paulo. Sendo que Jonathan já foi preso em Três Lagoas, a 326 quilômetros de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, com outros 2 comparsas acusados de praticarem pelo menos três roubos no município. Jonathan e seus comparsas invadiram uma casa e fizeram sete pessoas reféns, entre elas duas crianças. Os assaltantes fugiram levando jóias, R$ 2,6 mil e aparelhos de celular e no momento da prisão, além dos objetos roubados nos assaltos, foi apreendido com eles dois revólveres calibre 38 com 12 munições.
Até o momento Claudemir continua foragido e muito provavelmente ainda dentro do mato, pois não sendo da região ele desconhece o lugar e foi visto na noite da batida policial tentando obter informação de onde se encontrava. A Polícia Civil continua a perseguição e com as investigações para apurar o envolvimento deles em outros crimes.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

REPASSE DO GOVERNO FEDERAL PARA MONTE AZUL EM 2009 Segundo o site www.portaltransparencia.gov.br


clique na imagem para melhor visualização

REPASSE DO GOVERNO FEDERAL PARA CATUTI EM 2009 Segundo o site www.portaltransparencia.gov.br




clique na imagem para melhor visualização

ARRECADAÇÃO RECEBIDA POR CATUTI DE F.P.M.NOS ÚLTIMOS 7 MESES


Arrecadação repassada pelo Tesouro Nacional á administração de Catuti/MG nos sete primeiros meses de 2009. Até o momento o mês de Agosto não estava disponivel no site do Governo federal.
Esse é o principal repasse mas não é o único.

Total = 2.678.194,40
( Dois milhões seiscentos e setenta e oito mil cento e noventa e quatro reais e quarenta centavos )
Desse montante quase 700 mil(693.329,60) obrigatoriamente tem que ser gasto com educação, pois é repasse do FUNDEB - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação.
De acordo com o disposto nos artigos 21 e 22 da Lei nº 11.494/2007, os recursos devem ser aplicados, no exercício financeiro em que forem creditados, 60% dos recursos recebidos anualmente, no mínimo, para remuneração dos profissionais do magistério em efetivo exercício no segmento da educação básica.


Clique na imagem para aumentar/melhorar visualização.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

MARCELÃO TEM NOVO ENDEREÇO




.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Preso em Monte azul pela polícia civil por suspeita de tráfico de drogas, o comerciante de aves e peixe Marcelo Ferreira do Amaral,33 anos, vulgo Marcelão, foi recambiado para Belo Horizonte onde esta sendo investigado por tráfego de drogas e assassinato.

Segundo o delegado da comarca de Monte Azul, Dr. Bruno Salmen, Marcelão foi encaminhado a pedido da delegacia de policia civil de Venda Nova onde é suspeito de pertencer a quadrilha de Romualdo, vulgo Rosquinha,que foi assassinado por ex-comparsa de nome Itamar em 2005 em um churrasco no bairro Tupí.

Segundo a policia da capital, desde a morte de Romualdo uma série de oito assassinatos foram praticados no bairro Tupi, região Norte de Belo Horizonte, sob o comando Leila Figueiredo da Silva, 26, ex-namorada de Romualdo que também fora baleada durante o assassinato e, mesmo ferida, teria jurado vingar-se e os crimes teriam sido cometidos por vingança à morte do ex-companheiro.

Segundo ainda a Polícia Civil, ela, que trabalhava em um hospital particular na avenida do Contorno no bairro Serra como auxiliar de enfermagem, é acusada de suceder o marido no controle do tráfico de drogas e em sua residência foram apreendidos uma pistola calibre .380 e uma .40 de uso exclusivo das Forças Armadas, com numeração raspada, grande quantidade de munição de diversos calibres, celulares, vários documentos falsos em nome de Leila e de Romualdo, uma faca escondida embaixo do colchão, plásticos para embalagem de droga, um computador, além de várias fotografias do velório do marido e camisas com a imagem dele com os dizeres “Saudades eternas”.Além disso, também foi apreendido um Astra prata, supostamente utilizado para o tráfico.

As investigações apontam que Marcelão teria fugido para o Norte de Minas, inicialmente para Mucambinho no projeto Jaíba, e depois para Monte Azul onde tem parentes, e que o mesmo é suspeito do assassinato do irmão de Itamar no dia seguinte ao velório de Romualdo e que também tenha executado ou participado diretamente dos outros sete assassinatos, e que nessa época tenha assumido o segundo no comando da quadrilha de Leila Figueiredo, sendo amante da mesma. Uma semana após a prisão de Marcelão, foi preso Willian Ferreira da Silva, 30 anos, o Totinha,sobrinho do mesmo e suspeito de trafico de drogas. No fórum de Monte Azul Marcelão responde inquérito por suspeita de chefiar o trafico de drogas local.

Cadeia Pública
Após a fuga de 11 presos ocorrida no dia primeiro de Abril na cadeia pública de Monte Azul após suborno a agente penitenciário, o delegado Dr. Bruno Salmen aumentou o rigor das revistas e mudou os procedimentos internos do presídio local.
Marcelão, enquanto responsabilidade da justiça local, era motivo de tensão ao policiamento pois a qualquer momento poderia objeto de tentativa de resgate por membros do tráfico de drogas. Também esteve preso na cadeia local o outro Marcelo, o Antunes, que planejou e executou o plano de fuga em Abril, e que recapturado foi transferido para a cadeia de Janaúba.

Com 6 celas e capacidade para 30 presos, a cadeia local está com 31 detentos e 10 albergados que são obrigados a pernoitar todos os dias na prisão, sendo que uma cela é exclusiva para as detentas.

Também foi providenciado pelo Dr. Bruno a colocação de uma grade com portão e cadeado no lado externo, na frente do prédio, e um holofote na parte superior frontal para iluminar a praça onde está localizada a cadeia, aumentando assim a segurança.