terça-feira, 23 de agosto de 2016

Temer quer barrar reajuste


O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB), afirmou ontem que o governo defende segurar um pouco a votação no Senado Federal dos projetos de reajuste salariais do funcionalismo público já aprovados pela Câmara dos Deputados.
Segundo ele, o momento político-econômico do País não é o mais adequado para votar matérias como essa.
O que passou, passou [no Congresso]. Agora é o momento de segurar um pouco essa questão de reajuste , afirmou o ministro em entrevista após participar de almoço com lideres da base na residência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Segundo Geddel, essa é a mesma posição defendida por Temer. No encontro, Temer pediu quórum e engajamento da base aliada nas votações da pauta do governo no Congresso Nacional.

Banho-maria
O presidente interino Michel Temer (PMDB) acertou com as lideranças políticas da Câmara colocar em banho-maria a tramitação no Senado Federal dos projetos de reajustes salariais de servidores públicos, principalmente o dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Judiciário e do Ministério Público.
DCI     -     23/08/2016

Apartamentos do Minha Casa Minha Vida estão sendo entregues sem energia elétrica em Montes Claros


A construção do condomínio IIdeale Vitta que a Via Sul engenharia está construindo no Jardim São Geraldo, próximo as Três Pilastras, está ainda em fase de acabamento e já tem famílias residindo em alguns dos 180 apartamentos financiados pelo Minha Casa Minha Vida no banco do Brasil.
O problema são projetos mal feitos e mal executados na área de energia elétrica e que a Cemig se recusou a receber. A empresa de energia elétrica se recusa a alimentar as linhas não estando as instalações dentro do padrão de conformidade. A Via Sul foi obrigada a trocar poste e fiação para que a Cemig energize a linha, o que não tem previsão de data para acontecer. Segundo informa a construtora para os compradores dos apartamentos pode acontecer no meio do mês de Setembro, mas sem certeza.
A empresa contratada está fazendo os reparos e dando continuidade ao projeto de energia, mas algumas famílias já estão morando no lugar. Alegam que fica difícil pagar as prestações do apartamento e o aluguel de onde residiam, e preferem morar a ¨luz de velas¨ e tomar banho frio.No mês passado o comercio local chegou a ser avisado do corte de energia para manutenção, mas não aconteceu pois foi quando a Cemig constatou a não adequação das instalações.
A todo momento compradores visitam as obras e ¨namoram¨ seus apartamento. Os que já mudaram são os que não tem crianças nem pessoas de idade avançadas. Os outros estão esperando resolver as pendências da construtora com a Cemig sonhando com sua nova moradia.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Estudante brasileira é finalista em feira de ciência do Google


O projeto é o “Leite sem lactose para todos”, Maria criou uma cápsula que pode ser adicionada diretamente ao leite para neutralizar sua lactose. A cápsula funciona em baixas temperaturas, como a do refrigerador. 
A estudante Maria Vitória Valoto, 16 anos, de Londrina (PR), criou um projeto para ajudar pessoas com intolerância à lactose e irá concorrer com outros 15 projetos de jovens dos Estados Unidos, África do Sul, Índia, Singapura, Zâmbia, Malásia, Bangladesh e Arábia Saudita.
É a primeira vez que o Brasil tem uma representante na etapa final da feira de ciências do Google, a Science Fair.
O projeto é o “Leite sem lactose para todos”, Maria criou uma cápsula que pode ser adicionada diretamente ao leite para neutralizar sua lactose. A cápsula funciona em baixas temperaturas, como a do refrigerador. Além disso, serve para leites com baixo teor de gordura e leite integral e pode ser reutilizada para neutralizar as enzimas de lactose por até sete dias.
Todos sabemos que comprar leite sem lactose ou outras alternativas como o leite de soja pode ser muito caro. Com essa capsula o custo será bem menor.
O vencedor será anunciado no dia 27 de setembro e será premiado com uma bolsa de estudos no valor de US$ 50 mil.

Fonte - Revista Amazônia  17/08/2016